Quando é recomendada uma cirurgia ocular?

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

cirurgia ocular

O avanço de técnicas cirúrgicas permite que atualmente os pacientes tenham acesso a cirurgias para diferentes problemas oculares. Nem todo problema, entretanto, poderá ser corrigido ou tem indicação para uma cirurgia — e justamente por isso é importante conhecer as recomendações para cada caso.

Além disso, há de se considerar que algumas doenças não possuem cura, com a cirurgia ocular servindo apenas como uma maneira de conter ou amenizar a complicação de certos quadros. Para que você entenda melhor sobre o assunto, veja a seguir os casos em que a cirurgia ocular é recomendada!

Correção de erros refrativos: um caso típico para a cirurgia ocular

Uma cirurgia ocular bastante conhecida e utilizada atualmente diz respeito à cirurgia feita a laser para corrigir diferentes erros refrativos, como a miopia, astigmatismo e hipermetropia. Essa cirurgia pode aplicar diferentes técnicas e tipos de laser.

O resultado é que o paciente pode se tornar independente, total ou parcialmente, do uso de óculos, lentes de contato e outras lentes corretivas, o que garante melhor qualidade de vida.

Glaucoma

O glaucoma é uma patologia caracterizada pelo aumento da pressão intraocular. Tal ampliação pode trazer maior compressão dos vasos sanguíneos que nutrem as estruturas visuais mais sensíveis do fundo do olho — futuramente, se não tratado, levando à destruição das células nervosas da retina e do nervo óptico. Esse quadro implica na perda progressiva da visão e ao estreitamento do campo visual da pessoa, podendo-se chegar à cegueira.

Quem sofre de glaucoma deve ter acompanhamento e fazer tratamentos contínuos, a fim de manter a pressão intraocular controlada. Pode-se tratar essa doença com o uso apropriado de colírios e comprimidos, mas em alguns casos pode ser necessária a intervenção cirúrgica. Vale dizer que o melhor tratamento aqui é mesmo a prevenção — quanto mais cedo a doença for diagnosticada, menor será a perda visual.

cirurgia ocular

Catarata

A catarata, por sua vez, é um problema muito comum em pessoas acima dos 55 anos e consiste em um ganho de opacidade do cristalino, uma membrana transparente que recobre o olho. Como essa membrana vai ficando branca com a deterioração, a acuidade visual vai sendo perdida, transformando as imagens em borrões e vultos.

Nesse caso, a cirurgia utiliza um laser que serve para fazer incisões e romper a catarata enquanto uma cânula aspira a catarata já desfeita. Em seguida, é implantada uma lente intraocular que ajudará a visão do paciente.

Tumores oculares

Tumores oculares geralmente aparecem em forma de melanoma de coróide, que é um tipo de tumor intraocular e que pode levar a um quadro de metástase. Por serem frequentemente assintomáticos, sua identificação é mais difícil, o que faz com que a cirurgia seja o tratamento preferencial.

A principal cirurgia é chamada de braquiterapia, em que é inserida uma placa radioativa no olho para que a vascularização do tumor seja comprometida e seu crescimento seja impedido. Em alguns casos, entretanto, a cirurgia de retirada do olho pode ser necessária quando outras técnicas de tratamento não funcionam adequadamente.

Estrabismo

O estrabismo é caracterizado por um desalinhamento ocular que pode não prejudicar a visão, mas que causa prejuízos estéticos para o paciente. Embora alguns casos sejam corrigidos com lentes ou óculos, a cirurgia pode ser indicada para corrigir esse desalinhamento.

O resultado esperado é que os olhos fiquem tão alinhados quanto possível, aumentando a autoestima e a qualidade de vida do paciente. Se necessário, pode-se fazer futuramente uma cirurgia para correção de outros problemas da visão.

Uma cirurgia ocular normalmente é a última opção para determinados quadros clínicos. Mas também pode ser a única solução efetiva, em determinados episódios oculares.

No geral, os casos genéricos de desvios da visão, glaucoma, tumores oculares e estrabismo podem ser indicados para a intervenção. No caso da catarata, operar seria a única solução para corrigir o problema e garantir uma efetiva melhora da visão. Em todos os casos, o objetivo das cirurgias é proteger a visão e a saúde do paciente, além de aumentar sua qualidade de vida. O oftalmologista é o único que pode orientar qual é a patologia e qual é o procedimento correto de tratamento.

Restou alguma dúvida sobre as indicações adequadas para fazer uma cirurgia? Não deixe de comentar a seguir, com os seus questionamentos.

 

Comentários no Facebook

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×